quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Para educadores, mudar a progressão não basta

Clipping Educacional - Folha de S.Paulo
A mudança na progressão continuada no ensino do Estado de São Paulo foi elogiada por educadores ouvidos pela reportagem. Mas eles ressaltam que ela precisa ser aliada a outras alterações.
Ontem, a Folha divulgou que os ciclos do ensino fundamental devem passar para três, elevando o número de séries em que o aluno é avaliado de forma mais completa e pode ser reprovado.
Hoje, isso acontece ao final do quinto e do nono ano. Com a mudança, poderá ocorrer também no terceiro ano, ao final do ciclo de alfabetização dos alunos.
"A medida é interessante, mas inócua se não acompanhada de outras mudanças fundamentais, como uma melhor organização dos ciclos e um professor tutor, que acompanhe de perto o aluno", afirma o professor da Faculdade de Educação da USP Nilson José Machado.
Para Rose Neubauer, professora aposentada da mesma faculdade e ex-secretaria de educação de SP, a medida precisa ser acompanhada de uma recuperação sistêmica.
"Tem que recuperar o aluno passo a passo, não ao final de cada ciclo. Deixar para corrigir tudo só no final não vai adiantar."
Maria Helena Guimarães, ex-secretária de educação estadual SP, diz que a mudança para os três ciclos foi considerada a mais adequada. Ela participou de um grupo de estudos que avaliou no ano passado uma série de possíveis mudanças no regime de progressão continuada, a pedido do então secretário, Paulo Renato Souza.
Segundo ela, a proposta não é aumentar a reprovação, pois apenas "casos extremos" poderão ser retidos, ao contrário do que acontece ao final dos outros ciclos.
"As crianças com mais dificuldade seriam encaminhadas para salas de recuperação", afirma.
A Secretaria Estadual de Educação também afirmou que introduzirá uma prova unificada para avaliar os alunos da rede.
fonte: http://aprendiz.uol.com.br

Um comentário:

  1. Postagem bem elaborada.
    Primeiramente, agradeço o seu comentário em meu blog e gostaria de ressaltar que não votei em Dilma e não acredito que ela fará algo bom. Mas ela é Presidente e se portou bem na sua posse.

    Quanto ao seu texto, tem uma coisa que não entendo: estão elaborando uma educação, mas os passo que estão sendo tomados, estão deixando-a escassa, não acha?

    Gostaria de me aprofundar nesse assunto, que muito me interessa.

    Abraço de NINA

    ResponderExcluir