quarta-feira, 11 de maio de 2011

SP anuncia reajuste de 42,2% a professores estaduais em 4 anos

CAROLINA LEAL
Clipping Educacional - DE SÃO PAULO
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta quarta-feira um aumento de 42,2% no salário base dos professores da rede estadual, dividido em quatro anos. Segundo o governo, o reajuste engloba 374 mil pessoas --incluindo professores na ativa, aposentados e pensionistas. Funcionários da rede também terão reajustes salariais.
O primeiro aumento será de 13,8%, no dia 1º de julho deste ano. Com isso, o piso do professor com jornada de 40 horas passa de R$ 1.665 para R$ 1.894. Esse reajuste, no entanto, inclui e incorpora ao salário base uma gratificação de R$ 96 que já é recebida pelos professores na ativa.
Essa era a última gratificação que ainda não estava incorporada no salário base. Outra, a GAM (Gratificação por Atividade de Magistério), começou a ser incorporada em 2010 e estará totalmente incluída ao salário em 2012. A medida beneficia os aposentados, que recebem de acordo com o piso, sem as gratificações.
Em 2012, o reajuste será de 10,2% sobre o salário acumulado, e o piso vai a R$ 2.088. Em 2013, são outros 6%, e o salário fica em R$ 2.213. Por fim, o último reajuste será concedido em 2014 --7%--, levando o piso a R$ 2.368.
No caso dos funcionários da rede estadual, o aumento médio será de 33% neste ano, variando de acordo com o cargo.
O custo dos reajustes para o governo será de R$ 824 milhões em 2011, sobe para mais de R$ 2 bilhões nos anos seguintes e chega a R$ 3,7 bilhões em 2014.
O governo anunciou também a contratação de 10 mil funcionários para atuarem como agentes escolares --lidando com atividades de pátio, por exemplo. A ideia do governo é liberar os diretores para lidar com as questões pedagógicas.
As medidas foram anunciadas depois de uma série de reuniões com professores da rede estadual, e agora têm que ser encaminhadas à Assembleia Legislativa para aprovação.
O governador não comentou se haverá mudanças nos pagamentos de bônus por desempenho e de valorização por mérito (que concede aumento apenas aos professores mais bem avaliados), mas disse que os dois programas continuam.
fonte: http://www1.folha.uol.com.br/

0 comentários:

Postar um comentário